Próxima atribuição ordinária: 03/06/2015 
Próxima atribuição extraordinária: 12/06/2015

Quando é feita a inscrição de novos professores?
NÃO há calendário pré-definido.
a) A critério da SEE, no segundo semestre de cada ano para atuação no ano letivo seguinte.
b) A critério da Diretoria de Ensino, a qualquer momento (Cadastro Emergencial). Neste caso os professores inscritos só podem atuar durante o ano letivo em que é feita a inscrição.

É possível inscrever-se em mais de uma DE?
NÃO. A inscrição é feita numa única Diretoria. No entanto, em período definido pela SEE ou a critério das DEs, poderá haver o cadastramento em outras Diretorias.

O que é necessário para inscrever-se?
A documentação, assim como a formação necessária para cada campo de atuação e/ou disciplinas, é definida em Edital. ( V. maiores detalhes aqui).

Quais são os campos de atuação?
CLASSE: atuação no 1.º ao 5.º ano do Ensino Fundamental; AULAS: atuação no 6.º ao 9.º ano do Ensino Fundamental  e 1.ª a 3.ª série do Ensino Médio e EDUCAÇÃO ESPECIAL: classes de Educação Especial Exclusiva e aulas de sala de recurso.

O que significa PEB I e PEB II?
PEB (Professor de Educação Básica) II são todos os docentes habilitados (ou seja, com licenciatura completa) que atuam no campo Aulas. PEB I são os docentes que atuam no campo Classe, assim como todos os docentes qualificados (faixa II a VI) do campo Aulas.

Como é definida a faixa de classificação dos docentes no campo AULAS?
A partir da quantidade de horas cursadas em relação ao total de horas do curso. A saber: I – licenciatura plena completa; II – a alunos de curso de licenciatura plena com, no mínimo, 75% do curso cumpridos; II – aos portadores de diploma de bacharel ou de tecnólogo de nível superior; IV - a alunos de licenciatura plena, que já tenham cumprido, no mínimo, 50% do curso; V – a alunos de bacharelado ou de tecnologia de nível superior com, no mínimo, 75% do curso cumpridos; Vi – a alunos de curso de licenciatura plena, ou de bacharelado/tecnologia de nível superior, que tenham concluído no mínimo 1 (um) semestre do curso.

Como é feita a classificação final dos docentes?
Veja o Artigo 4.º da Resolução SE 75/2013.

O que é situação funcional?
Os docentes, atualmente, podem ser: a) titulares de cargo, ou seja, aprovados em concurso público; b) docentes estáveis, nos termos da Constituição Federal de 1988; c) docentes estáveis, nos termos da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT; d) docentes ocupantes de função-atividade (categoria “F”); e) docentes contratados e candidatos à contratação temporária (categoria “O”).

O que são aulas eventuais? Como são atribuídas?
É qualquer substituição com duração máxima de até 15 (quinze) dias. A atribuição é feita diretamente nas escolas, para qualquer docente regularmente inscrito.

E as substituições com duração superior a 15 (quinze) dias?
Neste caso a atribuição ocorre em dois momentos:
a) na unidade escolar, para todos os docentes com aulas ali atribuídas (exceto aulas eventuais e licenciados em pedagogia atuando no campo Aulas) e obedecendo a Classificação na UE;
b) na Diretoria de Ensino, para os docentes regularmente inscritos e obedecendo a Classificação Geral na DE (pode ser consultada aqui).

MAIS: Para saber mais (jornadas, ATPCs, etc) clique aqui.
Para os dias e horários das atribuições na Diretoria de Ensino, clique aqui.

Em pesquisa realizada com alunos, docentes e funcionários 99,3% admitiram ter algum tipo de preconceito.

Pesquisa realizada em 2009 nas escolas públicas de todo o país, baseada em entrevistas com mais de 18,5 mil alunos, pais e mães, diretores, professores e funcionários, revelou que 99,3% dessas pessoas demonstram algum tipo de preconceito étnico-racial, socioeconômico, com relação a portadores de necessidades especiais, gênero, geração, orientação sexual ou territorial. O estudo, divulgado nesta quarta-feira (, em São Paulo, e pioneiro no Brasil, foi realizado com o objetivo de dar subsídios para a criação de ações que transformem a escola em um ambiente de promoção da diversidade e do respeito às diferenças.

De acordo com a pesquisa Preconceito e Discriminação no Ambiente Escolar, realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) a pedido do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 96,5% dos entrevistados têm preconceito com relação a portadores de necessidades especiais, 94,2% têm preconceito étnico-racial, 93,5% de gênero, 91% de geração, 87,5% socioeconômico, 87,3% com relação à orientação sexual e 75,95% têm preconceito territorial.

Segundo o coordenador do trabalho, José Afonso Mazzon, professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP), a pesquisa conclui que as escolas são ambientes onde o preconceito é bastante disseminado entre todos os atores. "Não existe alguém que tenha preconceito em relação a uma área e não tenha em relação a outra. A maior parte das pessoas tem de três a cinco áreas de preconceito. O fato de todo indivíduo ser preconceituoso é generalizada e preocupante", disse.

Com relação à intensidade do preconceito, o estudo avaliou que 38,2% têm mais preconceito com relação ao gênero e que isso parte do homem com relação à mulher. Com relação à idade, 37,9% têm preconceito principalmente com relação aos idosos. A intensidade da atitude preconceituosa chega a 32,4% quando se trata de portadores de necessidades especiais e fica em 26,1% com relação à orientação sexual, 25,1% quando se trata de diferença socioeconômica, 22,9% étnico-racial e 20,65% territorial.

O estudo indica ainda que 99,9% dos entrevistados desejam manter distância de algum grupo social. Os deficientes mentais são os que sofrem maior preconceito com 98,9% das pessoas com algum nível de distância social, seguido pelos homossexuais com 98,9%, ciganos (97,3%), deficientes físicos (96,2%), índios (95,3%), pobres (94,9%), moradores da periferia ou de favelas (94,6%), moradores da área rural (91,1%) e negros (90,9%).

A pesquisa completa pode ser acessada aqui.
Período de 11 a 15/05/15, das 9h às 12h e das 14h às 17h.
Local: diretamente na escola de interesse do candidato. Veja a relação no Edital.

No ato da inscrição, o candidato deverá apresentar:
a) ficha de inscrição devidamente preenchida (faça download clicando aqui)
b) comprovante de inscrição no processo de atribuição de aulas – 2015 (GDAE);
c) projeto de trabalho, contendo: identificação, público-alvo, justificativa, objetivos, ações, procedimentos metodológicos, cronograma de realização e formas de avaliação e registros. Para acesso às referências bibliográficas, consultar aqui.

Publicado em 04/05/2015, 15h32

O Ministério da Educação, em parceria com a Unesco e a Fundação Joaquim Nabuco, disponibiliza para download a Coleção Educadores, uma série com 62 livros sobre personalidades da educação. A coleção traz ensaios biográficos sobre 30 pensadores brasileiros, 30 estrangeiros, e dois manifestos: “Pioneiros da Educação Nova”, de 1932, e “Educadores”, de 1959.
A escolha dos nomes para compor a coleção foi feita por representantes de instituições educacionais, universidades e Unesco. O critério para a escolha foi reconhecimento histórico e o alcance de suas reflexões e contribuições para o avanço da educação no mundo. No Brasil, o trabalho de pesquisa foi feito por profissionais do Instituto Paulo Freire. No plano internacional, foi traduzida a coleção Penseurs de l’éducation, organizada pelo International Bureau of Education (IBE) da Unesco, em Genebra, que reúne alguns dos maiores pensadores da educação de todos os tempos e culturas. 
Integram a coleção os seguintes educadores/pensadores: Alceu Amoroso Lima, Alfred Binet, Almeida Júnior, Andrés Bello, Anton Makarenko, Antonio Gramsci, Anísio Teixeira, Aparecida Joly Gouveia, Armanda Álvaro Alberto, Azeredo Coutinho, Bertha Lutz, Bogdan Suchodolski, Carl Rogers, Cecília Meireles, Celso Sucow da Fonseca, Célestin Freinet, Darcy Ribeiro, Domingo Sarmiento, Durmeval Trigueiro, Edgard Roquette-Pinto, Fernando de Azevedo, Florestan Fernandes, Frederic Skinner, Friedrich Fröbel, Friedrich Hegel, Frota Pessoa, Georg Kerschensteiner, Gilberto Freyre, Gustavo Capanema, Heitor VillaLobos, Helena Antipoff, Henri Wallon, Humberto Mauro, Ivan Illich, Jan Amos Comênio, Jean Piaget, JeanJacques Rousseau, JeanOvide Decroly, Johann Herbart, Johann Pestalozzi, John Dewey, José Martí, José Mário Pires Azanha, José Pedro Varela, Júlio de Mesquita Filho, Liev Semionovich Vygotsky, Lourenço Filho, Manoel Bomfim, Manuel da Nóbrega, Maria Montessori, Nísia Floresta, Ortega y Gasset, Paschoal Lemme, Paulo Freire, Roger Cousinet, Rui Barbosa, Sampaio Dória, Sigmund Freud,Valnir Chagas, Édouard Claparède e Émile Durkheim.
A Dirigente Regional de Ensino da Diretoria de Ensino - Região Bauru torna pública a classificação dos candidatos avaliados e indicados para professor em atividade docente das escolas do Programa Ensino Integral (Resolução SE 58, de 17/10/2014). Área Ciência Humanas.

Publicado em 04/05/2015, 15h20

O “Curta Na Escola” reúne vídeos gratuitos feitos por brasileiros que podem ser aplicados ao ensino de crianças e adolescentes. O objetivo é promover e incentivar o uso curtas-metragens brasileiros como material de apoio pedagógico em salas de aula.
Além de disponibilizar informações pedagógicas básicas, como os níveis de ensino e as disciplinas às quais o vídeo é adequado, o site tem uma plataforma colaborativa, em que professores podem compartilhar seus planos de aula e seus relatos.
Ao todo, há 530 vídeos no acervo do Curta na Escola. O conteúdo é gratuito para todos que acessam, mas os professores que desejarem montar sua cinemateca e enviar suas experiências podem fazer um cadastro.

O Projeto Currículo+, iniciativa integrante do Programa Novas Tecnologias – Novas Possibilidades da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, desdobra-se a partir da disponibilização de uma plataforma de sugestões de conteúdo digital (vídeos, animações, jogos digitais, simuladores, infográficos e áudios) como recurso pedagógico complementar, selecionados segundo o Currículo do Estado de São Paulo por meio de um processo contínuo de construção coletiva com educadores da Rede.